Vida.

10838862_748128765255221_924792966_n
O que é a vida?
 
Essa pergunta foi feita por um amigo num rolê, e ficou na minha cabeça, pois fiquei tentando achar respostas, só que lembrei bem que desde quando comecei a ter conhecimentos das coisas eu faço ela, e acho que vai ficar até o dia em que a minha vida (na terra) acabar. Pois apesar de vários esboços de respostas, nada realmente pode explicar esse mistério.
 
ALGUMAS DEFINIÇÕES DE VIDA
 
O trecho abaixo, retirado do portal da Universidade Federal de Santa Catarina, nos dá uma boa ideia das definições de vida mais comuns. Todas elas têm algo a dizer a respeito dos fenômenos vitais.
 
“O que é VIDA?
 
Não existe uma definição definitiva sobre o que seja a vida. Para a ciência, um ser vivo é algo que atenda o conjunto das definições abaixo:
 
A definição Fisiológica
 
Foi popular por vários anos. Um ser vivo é definido como sendo um ser capaz de realizar algumas funções básicas, como comer, metabolizar, excretar, respirar, mover, crescer, reproduzir e reagir a estímulos externos. Várias máquinas realizam todas estas funções e, entretanto, não são seres vivos. Um automóvel, por exemplo, come e metaboliza a gasolina, e joga seus excrementos pelo escape. Respira oxigênio e expira gás carbônico. Por outro lado, algumas bactérias vivem na ausência completa de oxigênio, isto é, não respiram, e, sem dúvida, são seres vivos. A definição, portanto, tem falhas.
 
A definição Metabólica
 
É ainda popular entre muitos biólogos. Descreve um ser vivo como um objeto finito, que troca matéria continuamente com as vizinhanças, mas sem alterar suas propriedades gerais. A definição parece correta mas, novamente, existem exceções: certas sementes e esporos são capazes de permanecer imutáveis, dormentes, durante anos ou séculos e, depois, nascerem aos serem semeados. A chama de uma vela, por outro lado, também tem uma forma definida, e troca matéria continuamente com as vizinhanças.
 
A definição Bioquímica (ou bio-molecular)
 
Seres vivos são seres que contém informação hereditária reproduzível codificada em moléculas de ácidos nucleicos e que controlam a velocidade de reações de metabolização pelo uso de catálise com proteínas especiais chamadas de enzimas. Esta é uma definição de vida muito mais sofisticada que a metabólica ou fisiológica. Existem, também neste caso, alguns contra-exemplos: existe um tipo de vírus que não contém ácido nucleico e é capaz de se reproduzir sem a utilização do ácido nucleico do hospedeiro.
 
A definição Genética
 
Um sistema vivo é um sistema capaz de evolução por seleção natural. Em 1859 Charles Darwin publicou o livro que o tornou famoso: “A Origem das Espécies”. Um parafraseamento moderno de sua teoria poderia ser algo como: informação hereditária é transportada por grandes moléculas conhecidas como genes. Genes diferentes são responsáveis por características diferentes do organismo. Na reprodução, este código genético é repassado para o organismo gerado. Ocasionalmente, pequenas “falhas” ocorrem na replicação do código, e surgem indivíduos com pequenas variações – ou mutações. Algumas mutações podem conferir características especiais que tornam o organismo mais apto à sobrevivência. Como um resultado, estes genes “mutantes” vão se reproduzir com mais facilidade do que os normais, e esta será a espécie dominante.
 
A definição Termodinâmica
 
O segundo princípio da termodinâmica diz que, em um sistema fechado, nenhum processo que leve a um aumento da ordem interna do sistema pode ocorrer. O universo, como um todo, está constantemente indo para uma situação de maior desordem – a entropia do universo aumenta com o passar do tempo. Em um organismo vivo a ordem parece aumentar: uma planta pega moléculas ordinárias de água e gás carbônico e as transforma em clorofila, açúcares e outros carboidratos, moléculas bem mais elaboradas e ordenadas. Isto ocorre porque um ser vivo é um sistema aberto, que troca massa e energia com as vizinhanças. Alguns cientistas concordam que, na maioria dos sistemas abertos, a ordem aumenta quando se fornece energia para o sistema, e que isto acaba formando ciclos. O mais comum dos ciclos biológicos na Terra é o ciclo biológico do Carbono. Na oxidação dos carboidratos, o dióxido de carbono é devolvido a atmosfera, completando o ciclo. Vários ciclos termodinâmicos existem mesmo na ausência de vida, como é observado em vários processos químicos. De acordo com este ponto de vista, ciclos biológicos são meramente explorações de ciclos termodinâmicos por organismos vivos.”
 
 
 
Esta pergunta perdura desde a aurora das perguntas. É extremamente poderosa e ao mesmo tempo inútil. Com ela pode-se chegar mais próximo à natureza das coisas ou distanciar-se do mundo em indagações vãs.
 
Para um curso de ecologia, esta pergunta tem um valor especial. Ela pode ser um mapa, uma bússola, um organizador de caminhos que estão por vir. Uma referência central para a diversidade de informações que já reunimos a respeito dos seres vivos.
 
Saber o que é vida (ou ter uma ideia mínima) ajuda a compreender os organismos e seus fenômenos, suas causas e efeitos. O que, por sua vez, pode nos ajudar a cuidar da vida e protegê-la, seja em nível individual, familiar, municipal ou global.
 
Então depois de refletir bastante sobre o que era vida, e saber que ela é maior que nosso entendimento, que ela é belíssima, e especial. Decidir que vou parar de contribuir com a morte, então desde 8/8 não comerei mais animais.
 
#PelaVida #PeloPlaneta #PelosAnimais #Ecologia
 
 
 
E pra você o que é vida?
Anúncios

Um comentário em “Vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s